Pandemia recua ainda mais no Brasil; vacinação é o motivo

No fim de março, 6 estados não registraram mortes

Pandemia recua ainda mais no Brasil; vacinação é o motivo
Foto: Governo do Ceará

O Brasil completou seis semanas seguidas com tendência de queda na média móvel de mortes por Covid-19, desde o pico causado pela variante Ômicron. O índice passou de 895,3, em 18 de fevereiro, para 228,8, nesta última semana. Um recuo de 74,4%. Os dados estão em boletim epidemiológico do Ministério da Saúde.

 

Segundo a Pasta, a queda se deve principalmente à ampla campanha de vacinação contra a Covid-19. No total, a primeira dose (D1) do imunizante já chegou a 163,2 milhões de pessoas, ou seja, 91,5% da população acima de 12 anos. Na forma de dose única ou da segunda dose (D2), já foram vacinadas 153 milhões de pessoas, quase 86% desse mesmo público.

Na quinta-feira (31), o país já tinha atingido um bom resultado, quando 6 estados não registraram nenhuma morte pela doença. Os estados que não registraram óbitos naquele dia foram Acre, Rondônia, Amapá, Piauí, Maranhão e Rio Grande do Norte.

 

O Ministério orienta que os brasileiros tomem a dose de reforço. Uma pesquisa da Universidade de Oxford indica que isso aumenta em até 100 vezes a imunidade contra a doença. Até o momento, 67,9 milhões de brasileiros completaram essa etapa da imunização.

 

Covid-19 no Ceará

No Ceará, a plataforma INTEGRASUS, da Secretaria Estadual de Saúde (SESA), já contabiliza 3.071.542  casos notificados; 1.241.255 casos confirmados; 26.772 mortes causadas pela covid-19; além de uma taxa de letalidade de 2,2, o que significa que a cada mil pessoas infectadas, 22 acabam morrendo.
Por outro lado, 1.118.723 pessoas já se recuperaram da doença e o estado realizou 3.752.447 exames.

Vacinação

A quantidade de doses aplicadas no estado chega a quase 19 milhões, sendo 7.906.807 de primeira dose; 7.100.154 de segunda dose; e 3.198.827 de dose de reforço. Além disso, 176.653 vacinas foram aplicadas em dose única; 8.631 pessoas já receberam a dose adicional.

 

Por: Gcmais