Em jogo espetacular, Fortaleza supera o Sport e conquista o Nordeste de forma invicta

Leão passa sufoco, se supera, catimba o adversário para alcançar a conquista inédita

Em jogo espetacular, Fortaleza supera o Sport e conquista o Nordeste de forma invicta
Foto: Mateus Lotif / Fortaleza EC

O Fortaleza venceu o Sport por 1 x 0, num jogo emocionante e com várias reviravoltas e conquistou o título da Copa do Nordeste, neste domingo (3), na Arena Castelão. É a segunda vez que o time vence o campeonato, mas agora é ainda mais histórico, pois o Leão leva o troféu para o Pici de forma invicta pela primeira vez. O Tricolor iguala o feito do Ceará, que também tem dois títulos, sendo um invicto.

O primeiro lance vital foi aos 3 minutos. Renato Kayzer invadiu a área do Sport e se enroscou com a defesa. O VAR chamou o árbitro para analisar que decidiu que não houve infração.

O Fortaleza seguiu pressionando muito pelos próximos 20 minutos de jogo. A superioridade técnica do Tricolor esbarrava, porém, na aplicação tática dos pernambucanos. O Leão trocava passes e conseguia invadir a área, mas não conseguia finalizar com muito perigo.

O primeiro lance claro de gol foi do Sport. Aos 25 minutos, Sander invadiu a área pela esquerda e chutou rasteiro e cruzado. O goleiro do Fortaleza, Max Walef, pego de surpresa, espalmou de forma desengonçada e a defesa tratou de afastar o perigo.

Aos 33 minutos, Moisés mostrou porque é temido pelos adversários. Ele pegou na intermediária, avançou por dentro da defesa, driblou dois jogadores e mandou forte, mas os zagueiros pernambucanos cortaram.

O Fortaleza seguiu pressionando, aliviando apenas para poupar forças. Mas de tanto tentar, aos 45 minutos, Moisés invadiu a área, driblou dois e foi derrubado. Pênalti! Yago Pikachu bateu com categoria e abriu o placar. 1 x 0!

O segundo não teve mudança de ritmo. O Tricolor seguiu melhor, embora o Sport tenha voltado com uma postura mais agressiva.

Aos poucos o Sport tentou partir para cima do Fortaleza. O Tricolor controlava a partida, mas agora sentia o adversário chegar cada vez mais perto da sua área.

O grande lance dos pernambucanos até ali foi aos 28 minutos. Sander passou por Benevenuto que o derrubou. O árbitro marcou pênalti. O VAR chamou o juiz que voltou atrás e deu falta na entrada da área. Nos minutos seguintes foram ao menos duas boas chances criadas pelo Sport, ambas em bolas alçadas na área.

Ao Fortaleza coube aproveitar os espaços deixados pelos pernambucanos quando se lançavam ao ataque. Hércules, Moisés e Pikachu foram os principais nomes na movimentação ofensiva.

O drama passou a ser um protagonista aos 35 minutos. Robson, atacante do Fortaleza, atingiu o adversário com uma cotovelada e levou cartão vermelho direto. O Leão teria que conquistar o título com um jogador a menos.

O roteirista da final pesou a mão. Faltando poucos minutos pro fim do duelo, acabou a luz no Castelão. A torcida tricolor não deixou o escuro tomar conta, pois com o que tinha em mãos conseguiu iluminar o estádio. Aos poucos a energia elétrica voltou, mas demorou para que o campo tivesse iluminação suficiente para que a partida voltasse.

A bola voltou a rolar e o juiz deu oito minutos de acréscimo. Foi nesses últimos minutos que o Sport tentou ser campeão, mas debaixo de muita chuva o Tricolor prevaleceu e conquistou sua segunda taça do Nordeste.

 

Por: O Otimista