Capitão Wagner diz que seu oponente nas eleições de outubro será um “poste”

A declaração foi uma crítica à indefinição do PDT para a escolha de um nome para entrar na disputa pelo Governo do Estado

Capitão Wagner diz que seu oponente nas eleições de outubro será um “poste”
Foto: Câmara dos Deputados

O pré-candidato ao governo estadual, Capitão Wagner (UB), disse irá competir contra um “poste” nas próximas eleições, em outubro deste ano. A declaração foi durante o primeiro encontro regional do União Brasil no Ceará, realizado em Sobral, neste sábado (30).

Na ocasião, Wagner disse que existe uma “briga interna” no atual governo para indicar quem será seu opositor na disputa pelo governo do estado.

 

Segundo o deputado, “tem um grupo que está há 36 anos no poder. Há uma grande briga interna pra decidir quem vai ser o poste. (…) Não estão preocupados em colocar o mais preparado não, é quem vai obedecer”.

Capitão Wagner não mencionou nomes, mas a fala foi uma crítica sobre a indefinição do PDT em indicar algum nome para disputar o cargo de governador ou governadora para as eleições em outubro.

A governadora Izolda Cela, o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, o deputado federal Mauro Filho e o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão, estão entre as opções que podem ser indicadas.

Durante sua participação no encontro do partido em Sobral, Wagner disse que se for eleito, pretende iniciar uma transformação educacional em Sobral. O município costuma ser uma espécie de vitrine eleitoral de Cid e Ciro Gomes e é reconhecido nacionalmente pelos resultados na área da educação.

O pré-candidato foi recebido pelo empresário Oscar Rodrigues e o deputado federal Moses Rodrigues, filiados ao União Brasil.

Capitão Wagner se mostrou confiante com o seu desempenho: “essa eleição tem tudo para ser decidida no primeiro turno. Tem que usar a energia toda no primeiro turno”, disse.

 

Resposta

Em suas redes sociais, o ex-governador do Ceará, Camilo Santana (PT), se pronunciou sobre as declarações do pré-candidato do União Brasil.

“Ótimo para o Ceará que quem esse senhor chama de ‘poste’ não faz motim, nem apoia Bolsonaro, suas especialidades. Fascistas e arrogantes terão a resposta do povo nas urnas”, disse Camilo.

Por: Gcmais