Autoridades da saúde no Ceará reforçam atendimento infantil para enfrentar aumento de síndrome gripais

Medidas foram anunciadas em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (25)

Autoridades da saúde no Ceará reforçam atendimento infantil para enfrentar aumento de síndrome gripais
Marcos Gadelha e Ana Estela Leita participaram de coletiva nesta segunda-feira (25). Foto: Governo do Ceará

As secretarias de saúde do Governo do Estado (Sesa) e da Prefeitura de Fortaleza (SMS) anunciaram, em coletiva da imprensa realizada nesta segunda-feira (25), uma série de medidas de reforço assistencial em resposta alto número de atendimentos infantil para doenças respiratórias registrados nesse início de 2022.

Comparando com o ano passado, foi observado aumento de até 155% no número de assistências na rede municipal para tratar casos de síndromes respiratórias no público infantil. Já no Hospital Infantil Albert Sabin, unidade referência em Pediatria gerida pelo Governo do Estado, a alta foi  128%.

Diante dos números preocupantes, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) realizou a abertura, na última semana, de 73 leitos pediátricos nos Hias e nos hospitais Geral Dr. Waldemar de Alcântara (HGWA) e Infantil Filantrópico – Sopai, sendo 15 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), destinados às crianças com síndromes gripais.

Outras medidas anunciadas foram as ampliações das unidades de saúde sentinela, que fazem a vigilância epidemiológica dos pacientes enviando amostras para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). A estratégia vai aumentar a quantidade de exames do painel viral, otimizando a detecção dos patógenos respiratórios. Das amostras identificadas em 2022 pelo Lacen, 56% (1.249) são influenza e 29,9% (667) são vírus sincicial respiratório – este com maior crescimento observado em abril.

Já a Prefeitura de Fortaleza, por meio da SMS, contratou mais pediatras plantonistas para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), abriu 40 leitos de Enfermaria no Hospital da Criança de Fortaleza, e ampliou os leitos de retaguarda no Sopai, de 60 para 174. Além disso, dois postos de saúde na Capital estarão com farmácias abertas para dispensação de medicamentos.

Atendimento está além do estado, diz secretário de saúde

O secretário da Saúde do Ceará, Marcos Gadelha, explicou que o crescimento da demanda por atendimento está além do esperado. “Nós vivemos um período de sazonalidade dessas infecções respiratórias, de março até junho, quando é esperado um aumento dessas doenças em crianças, mas, neste ano, fomos surpreendidos por um aumento significativamente maior, inclusive de casos graves, em relação ao ano de 2021. Dessa forma, quando percebemos a necessidade de abrir mais leitos para as crianças, providenciamos o redimensionamento da rede. Essas ações começaram pela Capital, mas temos capacidade de ampliar também no Interior”.

Os números que apontam o crescimento de casos de síndromes gripais no Ceará também mostram que o público mais atingido é o infantil. “De 2.107 amostras identificadas com vírus respiratórios, 906, ou seja, 43%, foram em crianças de zero a nove anos. Além disso, não há predominância de sexo, atingindo meninos e meninas”, enumera a secretária executiva de Atenção à Saúde e Desenvolvimento Regional da Sesa, Tânia Mara Coelho.

 

Já a titular da SMS, Ana Estela Leite, destacou que alguns cuidados simples podem barrar esse crescimento de síndromes gripais. “Não é covid-19, mas os mesmos cuidados que recomendamos durante a pandemia podem ser eficazes para as síndromes respiratórias. Lavar e higienizar as mãos, se hidratar, evitar levar as crianças com sintomas de gripe para as escolas. Esses hábitos já são muito importantes”, ressalta.

 

Por: Gcmais