Mercado de energia solar se populariza e cresce 63%

Mercado de energia solar se populariza e cresce 63%

O Brasil passa por instabilidade energética em razão da escassez de chuvas, que tem afeta-do diretamente as hidrelétricas, principal fonte energética no país. A situação tem causado recentes altas na conta de luz, motivo pelo qual as pessoas têm procurado alternativas para reduzir o consumo.

Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o aumento na quantidade de imóveis inseridos ao sistema por radiação solar aumentou 63% no país. Entre 1° de janei-ro e 5 de novembro do ano passado foram realizadas 125.880 conexões em residências pelo país. Se comparado ao mesmo período deste ano, o montante saltou para 205.225 novas instalações, o que representa crescimento de 63%.

Além disso, segundo a Aneel, existem mais 494 mil consumidores da modalidade pelo país. Atualmente, a depender do modelo, a energia solar pode ser instalada em imóveis residen-ciais com kits que variam entre R$ 1.000 e R$ 15 mil. De acordo com Hanter Pessoa, engenheiro eletricista e diretor de geração distribuída do Sindicato das Indústrias de Energia e de Serviços do Setor Elétrico do Estado do Ceará (Sindienergia), a tendência é que o mercado continue aquecido. “Tivemos no ultimo ano um crescimento muito grande e para 2022 a projeção é ainda maior, talvez em torno de 80% de crescimento. Acreditamos que o preço da energia não vai baixar, logo, as pessoas vão procurar por alternativas que possibilitem a redução da energia elétrica”, disse.

Ainda segundo o especialista, entre as vantagens do sistema é que ele oferece segurança, durabilidade e baixo custo de manutenção. “O cliente percebe que funciona e indica para outras pessoas, e por isso a procura aumenta. É uma economia que o cliente sente ao longo do tempo, além de ter um equipamento durável, com garantia de 10 a 12 anos e geração que varia de 25 a 30 anos, ou seja, o cliente compra sabendo que usufruirá pelo menos por 30 anos, sem contar o baixo custo da manutenção”, explicou.

Instalação
De acordo com especialistas, a instalação da energia solar para uma família com quatro pessoas, que consome, em média, 400 kWh por mês, são usa-dos seis painéis de 550 Wp. O sistema custa, aproximadamente, R$ 16 mil. Já uma família com as mesmas quatro pessoas, mas com um alto consumo, na casa de 1500 kWh, são necessários 23 painéis de 550 Wp, sob um custo de R$ 57 mil. Ambos os valores já com a instalação das placas no telhado.
Para dia nublados ou de chuva, nos casos dos sistemas que não utilizam ba-teria de armazenamento, a energia solar se junta à da rede elétrica, garantido que haverá fornecimento 24 horas por dia, de uma fonte ou de outra. O mesmo funcionamento se dá durante à noite. Ainda há opção de um sistema que pode contar com uma ou mais baterias, que são capazes de armazenar energia solar para utilização em momentos sem sol.

Homologação
Para instalar sistema solar em residências é preciso solicitar homologação do serviço junto à concessionária de energia elétrica. A homologação desse tipo de sistema é importante para garantir a segurança dos técnicos no mo-mento de instalação do projeto fotovoltaico, bem como das pessoas que re-sidirão na casa.

Como funciona?
O painel solar instalado no telhado das casas é capaz de converter a luz do sol em energia elétrica de forma de corrente contínua. Um equipamento in-versor converte a corrente contínua em corrente alternada, o que possibilita o funcionamento de eletrodomésticos, por exemplo.
Mesmo em dias sem sol, a energia é consumida normalmente, já que a compensação é realizada pela energia convencional. Se a geração de ener-gia solar for maior que o consumo da casa, a energia extra vai para a rede da distribuidora e gera um crédito de energia, que será utilizado automaticamente.

 

Por: Oestadoce